top of page
  • Foto do escritorRenato Ilha

Nutricionista recomenda consciência e moderação, como regra fundamental da alimentação

BELO HORIZONTE/MG – A noção de que as pessoas podem comer o que quiserem, desde que se alimentem com critério e qualidade, foi defendida pela nutricionista Gabriela Antonacci Mascarenhas, na palestra intitulada “Alimentação Saudável e Saúde”, que apresentou no Seminário de Saúde e Segurança no Trabalho, promovido pelo Sindicato dos Comerciários da capital de Minas, em 26/06, nas dependências do Royal Center Hotel.


A especialista baseou a exposição que fez no que chamou de regra fundamental da alimentação, que é ter a consciência de que tudo deve ser consumido com moderação. Ela disse que nenhum alimento pode ser proibido, mas é preciso fazer escolhas corretamente, combinando os alimentos e aproveitando ao máximo a variedade, de maneira a fornecer ao organismo os nutrientes necessários. Quanto mais variada e natural for a alimentação, mais ajudaremos o organismo a funcionar bem, dando a ele mais disposição.

Uma alimentação saudável não tem a ver com limitações rígidas, com a falta de realismo ou com a privação dos alimentos que você ama. Então, o que é alimentação saudável?


PADRÃO DE ALIMENTAÇÃO


A alimentação saudável é um padrão de alimentação que sustenta sua melhor saúde física, mental e emocional. Inclui opções alimentares variadas e equilibradas que atendem às suas necessidades de nutrientes e energia. É sobre se sentir bem, ter mais energia, melhorar sua saúde e melhorar seu humor.

Incluir hábitos de alimentação saudável não precisa ser algo excessivamente complicado. A pedra angular de uma dieta saudável deve ser substituir alimentos processados ​​por alimentos frescos e naturais sempre que possível.

Saber o que é alimentação saudável e como devemos adotar esse estilo de vida, pode fazer uma enorme diferença na maneira como você pensa, olha e sente.


ALIMENTAÇÃO TAMBÉM SE APRENDE EM CASA


Gabriela Antonacci Marcarenhas, que é nutricionista do Sindicato dos Comerciários de Belo Horizonte, acredita que o fato de a criança crescer e aprender influenciada pelos pais, a adoção de hábitos saudáveis influenciará a criança, que se espelha na conduta dos maiores. Com a alimentação ocorre da mesma forma.

Ela explicou que os alimentos industrializados representam a perda da identidade cultural e de valores sociais, alterando as relações familiares. Já a alimentação saudável é aquela que fornece água, carboidratos, proteínas, lipídios, vitaminas, fibras e minerais, que são elementos insubstituíveis e indispensáveis ao bom funcionamento do organismo. A alimentação variada previne deficiências nutricionais, melhora a função imunológica e previne doenças crônicas não transmissíveis.


UM MANUAL PARA A BOA ALIMENTAÇÃO


Ao final da explanação, a nutricionista sugeriu o Guia Alimentar para a População Brasileira, publicado pelo Ministério da Saúde, que apresenta as diretrizes alimentares oficiais para a população. O manual bolso é mais um instrumento para combater a obesidade e o avanço das doenças crônicas no Brasil, visto que mais da metade da população está acima do peso.

A edição indica que a alimentação tenha como base alimentos frescos (frutas, carnes, legumes) e minimamente processados (arroz, feijão e frutas secas), além de evitar os ultraprocessados (como macarrão instantâneo, salgadinhos de pacote e refrigerantes).

A intenção do Guia Alimentar é promover a saúde e a boa alimentação, combatendo a desnutrição, em forte declínio em todo o País, e prevenindo enfermidades em ascensão, como a obesidade, o diabetes e outras doenças crônicas, como AVC, infarto e câncer.

Renato Ilha, jornalista (Fenaj 10.300)


34 visualizações

댓글


bottom of page